26 de fevereiro de 2009

Quando a moda é opinião


O assunto está um pouco empoeirado, mas como esse blog não é de jornalismo mesmo...
É o seguinte: há uns dois anos atrás entrou na moda o lenço palestino. O acessório foi transformado por estilistas de renome para protestar contra a guerra entre Israel e Palestina, sendo usado até por um estilista israelense. Como quem é "top" usou, todo mundo adorou, e a moda começou a se espalhar por aí. 
O que aconteceu é que o significado dessa peça se perdeu nesse meio tempo. Sim, porque não é só mais uma peça, como cadarços de tênis coloridos. O Keffieh, como é chamado, é usado pelos árabes da península arábica, e depois do conflito iniciado, se tornou um símbolo de luta pró-palestina, ou mesmo de luta pela paz. 
Em uma reportagem à Folha, Nina Lemos mostrou o que as pessoas que usavam o lenço palestino na São Paulo Fashion Week pensavam sobre a guerra, que remonta desde o século 19, e já envolveu líderes do mundo todo:
"Me apaixonei pelo lenço depois que vi uma foto da Anna Wintour [a editora da "Vogue" americana] usando um. Eu não tenho uma posição em relação a esse conflito, mas acho exagerada a ofensiva de Israel"
"Acho estilo, tendência", diz Mauro, que afirma "não saber o motivo da guerra"
"O que eu sei sobre esse lenço é que ele começou a aparecer em tudo o que é lugar, na MTV, nas baladas alternativas e nos clubes GLS." Sobre o conflito na faixa de Gaza, ele assumiu não saber de nada. "Não faço a mínima [ideia]."
"Não entendo nada sobre o conflito."

Não peço que as pessoas defendam a Palestina, ou usem o lenço como símbolo da sua opinião, ou tenham a mesma opinião que eu nesse assunto (isso seria assunto pra outro blog). Apenas chamo a atenção para o fato de que é preciso estar atento ao significado das coisas ao seu redor. Você pode estar dizendo muito mais do que almeja. 

Para saber mais sobre Israel, Palestina e suas desavenças, basta clicar nos links.

0 gostaram: